Exames Realizados   

 Manometria Esofágica   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PERGUNTAS FREQÜENTES


O que é manometria esofágica ?

É um exame que tem por finalidade o estudo da propulsão (funcionamento) do esôfago, avalia as pressões dentro do esôfago e a atividade muscular das três diferentes partes funcionais do esôfago (esfíncter inferior, corpo e esfíncter superior), durante a deglutição e nos períodos de repouso (onde não há deglutição).FOTOS

Quais as Indicações da manometria esofágica ?
Segundo o Consenso Brasileiro da Doença do Refluxo Gastroesofágico as indicações são restritas, limitadas aos seguintes propósitos :

1  - Investigar a eficiência da peristalse esofágica (funcionamento do esôfago) em pacientes com indicação de tratamento cirúrgico, com o objetivo de permitir ao cirurgião escolher a melhor cirurgia para cada caso.

2  - Determinar a localização precisa do esfíncter inferior do esôfago para permitir a correta colocação  do  eletrodo  de  pHmetria   esofágica   prolongada.

3  - Investigar apropriadamente a presença de distúrbio motor esofágico associado, tais como as doenças do colágeno e espasmo esofágico difuso.

Outras indicações da manometria esofágica são :

1  - Disfagia (dificuldade para engolir) de causa obscura.

2  - Dor torácica (peito)de origem não-coronariana.

3  - Avaliação da Doença do Refluxo gastroesofágico.

 

Qual a vantagem de se realizar a monometria esofágica na doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) ?

Este exame permite a detecção de critérios prognósticos do esfíncter inferior do esôfago (EIE) e do corpo do esôfago que podem auxiliar na seleção do tratamento a ser administrado. Os critérios pesquisados são :

Para o EIE – Pressão de Repouso / comprimento total / comprimento abdominal.

Para o corpo do esôfago – Amplitude das contrações / presença de peristalse.

Achado de pressão do EIE < 6 mmHg, comprimento total < 2 cm e comprimento abdominal < 1 cm é conhecido como esfíncter defectivo e é associado a baixo índice de resposta ao tratamento clínico.

Achado de mais de 30 % das ondas de baixa amplitude (<30mmHg) caracteriza motilidade ineficaz do esôfago (MIE). A presença de MIE está associada à evolução para disfagia em pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico.

 

Existem exames alternativos, que podem nos dar as mesmas informações, que a manometria esofágica?
Não existe nenhum similar.

Na doença do refluxo gastroesofágico o exame radiológico contrastado do esôfago poderá mostrar presença de complicações tais como estenose, úlcera, retração do esôfago e hérnia hiatal. Pode sugerir alterações motoras como ondas terciárias e espasmos do esôfago.

 

Quais as Orientações e preparo do paciente necessários  para a execução do exame de manometria esofágica?

A manometria esofágica é realizada com o paciente acordado, pois é necessário sua colaboração ativa. Não é indispensável acompanhante.

É utilizado somente anestesia local.

Após o término do exame o paciente poderá se alimentar, dirigir, trabalhar, enfim levar sua vida normalmente.

O paciente não pode ter sido submetido a sedação nas 6 horas que antecedem ao exame.

Jejum mínimo de 6 horas, jejum total, não tomar nem água.

Medicações que possam alterar o funcionamento normal do esôfago devem ser interrompidas, no mínimo 48 horas antes do exame. Entre elas:

nitratos (Isordil, Sustrate); bloqueadores do canal de cálcio (Adalat, Cardizen, Oxcord, Diltiazen); anticolinérgicos (Buscopan, Hioscina, Atroveran); agentes procinéticos (Plasil, Digesan, Motilium, Cispride, Prepulsid) e sedativos(Valium, Diazepan, Lexotan, Olcadil, Frantal). Na dúvida pergunte ao seu médico.

Trazer o resultado dos exames realizados anteriormente.

Todo paciente a ser submetido a estudo manométrico deve, no mínimo ter sido submetido previamente a estudo endoscópico do esôfago.

Trazer a solicitação médica do exame.

São explicados com detalhes e calma todos os passos envolvidos na execução do exame, eventuais desconfortos e benefícios esperados com a realização do exame.

Uma avaliação das condições psicológicas do paciente é realizada. Frente a condições psicológicas desfavoráveis é preferível explicar o exame para o paciente e pedir que ele retorne em outro dia para sua realização.

 

A manometria esofágica pode ser realizada com sedação do paciente ?
Não, infelizmente não. É necessário colaboração ativa do paciente durante o exame de manometria esofágica.

 

Como é a execução do exame de manometria esofágica?
FILME

A passagem da sonda de manometria é, geralmente, a parte mais incômoda de todo o exame. Por esse motivo temos como  “conduta  do  serviço” :

1 -       Ter a máxima delicadeza e paciência, com a experiência de mais de 1500 (exames) passagens de sonda.

2 -       Sem preocupação com tempo de duração do exame, por este motivo marcamos poucos exames ao dia.

A passagem da sonda é feita com o paciente sentado, sem necessidade de remoção de próteses dentárias.

Aplica-se gel anestésico na narina que estiver mais desobstruída e na orofaringe e pede-se para que o paciente inspire o gel, com objetivo de anestesiar o trajeto a ser percorrido pela sonda.

A sonda é introduzida lentamente na narina que foi anestesiada e quando sentimos que está na faringe posterior pedimos que o paciente flexione o pescoço para frente, para facilitar a entrada da sonda no esôfago. Durante todo o tempo o paciente é tranqüilizado

A sonda é então introduzida até o estômago.

Após a introdução da sonda, o paciente fala e respira normalmente.

O paciente é colocado em decúbito dorsal horizontal (deitado), as extremidades dos catéteres que compõem a sonda são conectados aos transdutores. O sistema de perfusão

( aparelho de manometria ) é acionado.

O exame é realizado por tração da sonda de maneira estacionária (lenta) em intervalos de 1 cm. .Do estômago é tracionada lentamente, passando pelo esfíncter inferior do esôfago até o corpo. No corpo do esôfago o peristaltismo (funcionamento) é avaliado por meio da análise dos complexos de deglutição, desencadeados pela injestão de pequenos volumes de água (3 a 5 ml).

Do corpo do esôfago chegamos ao esfíncter superior e finalmente a sonda é retirada. 

A duração do exame é de aproximadamente 20 a 30 minutos.

Após o exame o paciente poderá voltar às suas atividades normalmente.

 

Quais as limitações da manometria esofágica?
A principal limitação é a presença do relaxamento transitório do esfíncter inferior do esôfago (RTEIE). Mecanismo fisiológico para facilitar a eructação em resposta à distensão gasosa do fundo gástrico, que está anormalmente exacerbado em certas condições, favorecendo o refluxo gastroesofágico. Estima-se que cerca de 63 a 74 % dos episódios de refluxo sejam associados a RTEIE. Acredita-se que o RTEIE seja o principal fator envolvido na fisiopatologia do refluxo na maior parte dos pacientes com formas mais leves de esofagite e nos pacientes com DRGE sem esofagite.

 

Quais são as possíveis complicações do exame de manometria esofágica?
As complicações são raras, em minha casuística de 1500 exames realizados nunca tive nenhuma. Porém são descritas : sangramento nasal, dor de garganta, problema de seio nasal e introdução inadvertida da sonda na laringe, causando dificuldade respiratória aguda. Caso isto aconteça a sonda deve ser retirada imediatamente.

 

Quando tempo demora para se ter o resultado da manometria esofágica?
Em aproximadamente 2 dias o paciente receberá o resultado da manometria esofágica e poderá então retornar ao seu médico para uma conduta terapêutica.